Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Proud to be Mafalda

Diário de uma aspirante a jornalista em adaptação a uma nova (mas assustadora) vida...

Proud to be Mafalda

Diário de uma aspirante a jornalista em adaptação a uma nova (mas assustadora) vida...

Vamos aos updates? #2

por mafalda, em 15.09.14

 

 

Depois de muitas horas de trabalho, vai-se parecendo com um verdadeiro quarto... Tenho uma lembrança de cada membro da familia, sem esquecer o Félix, na moldura :)

 

Infelizmente as saudades teimam em não passar.

Quando me perguntam o nome na faculdade

por mafalda, em 15.09.14

Obrigadinha.

por mafalda, em 15.09.14

Os criadores do Candy Crush chegaram ao nível 524 e pensaram «Epá, f*da-se, 'tou farto desta m*rda, fazemos aqui o 523 mas sem solução que assim os gajos jogam, jogam, jogam mas nunca mais passam disto e a gente finalmente tira férias, "assimcomássim" já 'tamos podres de ricos!». E eu que me lixe.

 

Andava uma gaja tão eufórica e entusiasmada...

por mafalda, em 15.09.14

Não sei o que me impediu de escrever nos últimos dias: se a falta de tempo, se a falta de força. Ou se a falta dos dois.

Mudei-me definitivamente para a capital. Sábado depois de almoço peguei nas tralhas todas, tudo para a mala do jipe e a famelga a caminho de Lisboa. Entre o GPS que não serviu para nada e os enganos próprios de quatro alentejanos que escolhem todos os destinos para viajar, excepto Lisboa, chegámos já perto das 17h e trinta. O proprietário do apartamento onde arrendei o quarto recebeu-nos e subimos com a minha tralha toda. O senhor entregou-me a chave e acabou por nos deixar sozinhos para podermos arrumar as minhas coisas. Nenhum de nós ficou muito satisfeito com a casa. A minha mãe ajudou-me a limpar as secções que me foram destinadas na cozinha, porque caso contrário seria impossível eu guardar lá o que quer que fosse e o meu pai montava a mini televisão que comprámos para o meu quarto enquanto eu e a minha irmã tentámos dar um jeito no quarto. Ao cabo de uma hora nisto, desatei num pranto. Chorei tanto e tudo. Agarrei-me à minha mãe e não sei como consegui parar. Não era só a limpeza ou a arrumação. Quando me acalmei percebi que se perdesse umas horas em limpezas (ainda que considere que não se apresenta uma casa naquelas condições) as coisas podiam ficar como eu quero. Era tudo. 

A vida é dura e só agora me apercebo do quão dura. Enfrentamos variados problemas ao longo da vida: até agora, a doença era o pior. Mas vou crescendo e percebendo que até os problemas irremediáveis de saúde são mais fáceis quando temos uma família/alguém com quem contar, e de preferência perto. Já tive muitos, mas este foi provavelmente o dia mais difícil da minha vida. Gosto de pensar que, se toda a gente se adapta, também eu irei conseguir. Mas quando chega a noite fica mais custoso acreditar.

As aulas começam daqui a precisamente uma semana e espero sair desta onda depressiva. Ajudava se me sentisse bem na que agora é a minha casa, por isso por favor não se esqueçam do meu pedido aqui... Por favor :( 

Home is where your heart is

por mafalda, em 13.09.14

É a minha última noite em casa. Estou em arrumações. Vou trocar de computador com a minha mãe, porque o dela serve melhor para a faculdade. Por isso estive a passar todas as fotografias do meu portátil para uma pen. As fotografias da minha vida. Acho que escolhi mal o dia.

Abri o album do verão de 2009. Nessa altura ainda passávamos férias em Santo André. A minha irmã ainda me dava pelo peito. Tinha os dentes tortos e de monstrinho que o aparelho lhe corrigiu. Usava fitas, bandeletes e colares de missangas pirosos e enormes que sobressaíam demasiado no seu metro e trinta e nos seus ossos salientes. Vestia-se mal, mas era tão gira. Chamava-me "mana" com voz de desenho animado e andava sempre atrás de mim, ria-se tanto das minhas piadas sem graça nenhuma. Pedia para vir para a minha cama, eu deixava, mas ficávamos tão apertadas que a meio da noite alguma tinha que mudar. O meu pai pescava sete peixes numa tarde de praia, e os estrangeiros batiam-lhe palmas e aproximavam-se para os ver. Depois gozávamos os dois em português porque ele não percebia o que eles diziam e eles não percebiam o que nós dizíamos. Perto das sete a minha mãe queria ir embora porque estava frio... O meu pai vestia a camisola e cantava o refrão dos Xutos: "Eu gosto da praia à hora das gaivotas!". Ela resmungava e nós ríamos da imitação de gaivota do meu pai. 

Vou ter saudades. Eu sei que não acaba aqui, que venho nos fins-de-semana, sei disso tudo. Mas isto é o princípio do fim. A partir de agora eu venho a casa, não sou da casa. É a primeira fase da minha vida como adulta. Considero-me uma pessoa suficientemente independente, mas a verdade é que vai ser duro. O jogo de PES com o meu pai de todos os dias já não vai acontecer. Vai ser substituido por noites sozinha. Sozinha. Escrevo sozinha e forma-se um nó na minha garganta. Eles não vão estar comigo. Quando era pequena dizia-lhes que queria viver aqui em casa para sempre. Eles riam-se. E há uns meses eu ria-me. Mas agora choro. Porque eu quero mesmo viver aqui para sempre. 

Help

por mafalda, em 12.09.14

O meu telemóvel teve uma crise de identidade e está com uma anemia. Isto aplicado à movilândia quer dizer que o ponho a carregar e em duas horas carrega 15%. Mas em 15 minutos de utilização descarrega 60%. É boa média.

Not.

Isto para dizer que se agendo o despertador para as oito, o mais provável é acordar ao meio dia, porque durante a noite ele fica sem bateria nem para soar durante uns segundinhos à hora programada. E isto tendo em conta que amanhã me mudo definitivamente para Lisboa vem mesmo a calhar, porque dormir sem despertador aliado a viver sozinha é meio caminho andado para ter sucesso académico. 

O paciente é um Sony Xperia M. É normal sofrerem de anemias? :/

Bonito sim senhor

por mafalda, em 12.09.14

Um dia mato-te em mim mas até lá morro por ti.

Prometo Falhar,

Pedro Chagas Freitas

Vamos aos updates?

por mafalda, em 12.09.14

Vamos aos updates!

 

1. Ontem fui pela primeira vez à minha escola, matricular-me. E olhem... Adorei! O pessoal foi todo super simpático comigo, os "trajados" ou lá como se diz, ajudaram-me em tudo (mesmo depois de eu ter recusado o convite para as praxes porque, enfim, not my cup of tea)... Nota: positiva. Acho que a escola tem mesmo bom ambiente e fiquei contente!

 

2. Quanto ao quarto que tinha reservado em Lisboa... Já não estou tão optimista. O meu feitio é, já de si, propenso a uma adaptação complicada em quartos. E para ajudar à festa, acho que a limpeza não é o forte das restantes inquilinas. Pois, esqueci-me de mencionar que sou doente (não estou a exagerar) e entro em pânico com a sujidade. Ora uma pessoa assim entra na cozinha e vê o chão imundo, loiça por lavar e por aí fora e o resultado não é bom. Não é bom. Eu não sou má para partilhar casa, não fiquem já aí a olhar de lado para a esquisitoide. Eu só gosto muito duma coisa que está em desuso, que é o respeito. E acho que nas zonas comuns deve-se ter um cuidado especial com essas questões. No quartinho de cada uma até podem plantar árvores, uma ervinha e mandar para lá vacas pastar que eu bato palminhas. E é por isso que tenho um apelo a fazer. Estão me a ouvir? 'Tão vá. SE ALGUÉM DESSE LADO SOUBER DE UM QUARTINHO (OU MESMO UM T0/T1 QUE ISSO ERA O IDEAL) ATÉ AOS 250 EUROS num apartamento com bom ambiente, habitado por estudantes limpinha/os e arrumada/os e cujo senhorio não ande sempre a meter o nariz no dito, ali para os lados da ESCS (ou até 20 minutos de caminho) AVISEM AQUI A AMIGA hã? Não me falhem!

Desafio: ✦ TAG| Liebster Award - Discover new blogs ♥

por mafalda, em 12.09.14

 

E cá vai o meu primeiro desafio, proposto pel'A Framboesa ;) Obrigada!

 

Esta tag tem apenas estas regras a seguir:
- Colocar a imagem (que está em cima) no blog; 
- Responder às 11 questões que te foram colocadas;
- Nomear entre 4 a 11 blogs (de preferência com menos de 200 seguidores) e dar-lhes 11 questões da tua autoria;
- Não podes nomear a blogger que te nomeou, tens que avisar todos os nomeados e deixar-lhes o link do post;
- Avisa a blogger que te nomeou para que ela possa ver as respostas às suas questões.

As perguntas:

1- Qual o motivo que te levou a criar um blog?

Ora... Normalmente não há um motivo para nada na minha vida. É tudo por impulsos. Mas visto que entrei agora em jornalismo e acho, sinceramente, que os blogs vão ser os jornais e revistas do futuro, achei que era bom para começar.


2- Qual é o objetivo que queres atingir com o blog?

Não escondo que quero que vá o mais longe possível, mas essencialmente que seja o meu "diário" meio anónimo e que daqui a uns anos possa lê-lo e relembrar partes da minha vida.

 

3- O que achas que não pode faltar num blog (para além dos posts...) para que este se torne um blog indispensável?

Sinceramente, sentido de humor. Tudo o que me faça rir é bom material!

 

4- Se te pedisse para criticares o meu blog o que dirias?

Sigo-o há pouco tempo mas identifico-me por sermos da mesma faixa etária, logo, é um blog com conteúdo do meu interesse.

 

5- Qual é o melhor blog que conheces? Porquê?

Não sei, é a resposta mais sincera. Sou seguidora assídua da Pipoca Mais Doce, porque quem mais me faz rir...


6- Que imagem queres passar a quem visita o teu blog?

A minha :)

 

7- Qual é na tua opinião o teu melhor post até hoje?

Também não posso responder a esta, devo ter escrito até hoje uns vinte posts...


8- O que achas que faz falta na blogosfera?

Mais homens a escrever, bem como mais humor.

 

9- Alguém te apoia no que toca ao blog? Se sim quem?

Ninguém da minha "vida real" conhece o blog.

 

10- Que tipo de posts mais gostas de fazer?

Aqueles em que tenho realmente alguma coisa para partilhar.


11- Quem gostavas que te oferecesse uma parceria para o blog?

 Não sei, acho que o meu blog não é do tipo em que parcerias fazem sentido.

 

 

Ora, as nomeadas:

http://fairy-tales.blogs.sapo.pt/

http://amiuda.blogs.sapo.pt/

http://bataebatom.blogs.sapo.pt/

http://contosdameninamulher.blogs.sapo.pt/

 

 

As minhas perguntas:

Criaste este blog com o objetivo de...

Que futuro gostavas que ele tivesse e até onde gostavas que chegasse...

Tens medo que o teu blog se transforme num blog de...

Os teus amigos/familiares sabem da existência deste blog?

O teu blog favorito?

De onde surgiu o nome do blog?

«Os Maias»

por mafalda, em 10.09.14

Foi sempre com desagrado que me falaram d'Os Maias: «descrições exageradas e desesperantes», «Eça descreve o Ramalhete ao longo de dez páginas», ... E foi sempre com cepticismo e desconfiança que ouvi estas críticas. Todo o enredo me parecia demasiado rico para desiludir dessa maneira.

Há pouco mais de um ano li-o, finalmente, e constatei que estava certa. O humor inteligente e a sátira perspicaz, as personagens que nos afastam e aproximam, e nos atraem e repudiam, as "fotografias" que o meu cérebro imprimiu de Lisboa e, pois claro, o romance incestuoso. A certeza, também e porém, de que este pequeno (também em tamanho) não muda.

Amanhã estreiam Os Maias, pela mão de João Botelho. Sou das que não sabe: não sei se será bom, não sei se funcionará, não sei se fará jus, não sei, não sei. Mas não quero ser como nós, portugueses, somos em relação à arte que se faz cá: não vimos, não vamos ver, mas já não gostamos. Sei que é obrigatório vê-lo!

 

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D